quinta-feira, 10 de abril de 2014

Encontro de Formação: Olimpíada de Língua Portuguesa/2014



Informamos que, nos dias  15 e 16 de abril/2014, será realizado o Encontro de Professores de Língua Portuguesa, com o propósito de trabalharmos os gêneros textuais contemplados na Olimpíada de Língua Portuguesa – Escrevendo o Futuro. Desse modo, é necessário que tenhamos em mão o material de estudo (Caderno do Professor).
Local: Polo da Universidade Anhanguera
Horário: das 08h às 17h
Grandes expectativas!

Em abril, cumprimentamos...




ABRIL
 
9 - Elnathan Fernandes de Lima
9 - Maria Luzineide Ferreira de Oliveira
17 - Maria do Socorro Batista

terça-feira, 25 de março de 2014

sexta-feira, 14 de março de 2014

Geometria dos Ventos

Rachel de Queiroz
 
Eis que temos aqui a Poesia,
a grande Poesia.
Que não oferece signos
nem linguagem específica, não respeita
sequer os limites do idioma. Ela flui, como um rio.
como o sangue nas artérias,
tão espontânea que nem se sabe como foi escrita.
E ao mesmo tempo tão elaborada -
feito uma flor na sua perfeição minuciosa,
um cristal que se arranca da terra
já dentro da geometria impecável
da sua lapidação.
Onde se conta uma história,
onde se vive um delírio; onde a condição humana exacerba,
até à fronteira da loucura,
junto com Vincent e os seus girassóis de fogo,
à sombra de Eva Braun, envolta no mistério ao mesmo tempo
fácil e insolúvel da sua tragédia.
Sim, é o encontro com a Poesia. 
       
                     
(Poesia feita em homenagem ao poema "Geometria dos Ventos" de Álvaro Pacheco) 

sábado, 8 de março de 2014

Às mulheres que educam


Outro dia me pus a pensar que sou semelhante às mulheres da literatura de Érico Veríssimo,
as mesmas que enquanto os homens ocupavam da guerra,
elas se ocupavam do tempo e do vento.
Eu não tenho muitas definições a meu respeito;
apenas respeito a dor de cada hora,
a esperança de cada momento.
E se isso me define, então sou a dor que sabe esperar.
[...] Enquanto houver vida, as possibilidades existirão.
Cada um se ocupa do que pode.
Eu ainda me ocupo das mesmas esperanças que as Mulheres de Atenas.

[...]

As mulheres que educam também são de aço e de flores, na determinação que a vida exige e na leveza que a poesia permite.